Científicos

Menino de 3 anos sofre reação gravíssima a antibiótico e “queima” de dentro para fora

Kai Kehm, à época com três anos de idade, de Houston, Texas, ficou entre a vida e a morte depois de ter padecido em razão de uma reação alérgica rara ao antibiótico sulfamethoxazole.

Após alguns dias recebendo uma medicação para tratar uma infecção no ouvido, sua pele começou a formar bolhas, enquanto os olhos inchavam cada vez mais. Em estado crítico e sob cuidados intensivos, ele foi diagnosticado com uma condição rara, chamada de Síndrome de Stevens-Johnson.

A princípio, os médicos acreditaram ser uma pequena reação alérgica e lhe deram um anti-histamínico, mas, 12 horas depois, a saúde de Kai piorou e ele precisou ser levado às pressas para a emergência. Logo, ele já não conseguia mais abrir os olhos, tinha uma série de bolhas na boca e gritava de dor. Após realizar alguns exames, os médicos descobriram a existência da síndrome, que deve afetar uma em um milhão de pessoas.

Ele ficou internado durante quatro semanas e a cada dois dias os médicos tinham que remover camadas de sua pele, completamente afetada pela reação. Kai foi sedado e colocado em coma induzido por 10 dias, para que não sofresse tanto com as dores enquanto se recuperava.

Sua mãe Julie, de 42 anos, disse que o menino, hoje com sete anos, parecia que tinha sido queimado em um incêndio doméstico e que atualmente, ela e o marido, Cameron, de 37 anos, vivem em constante medo de que qualquer medicação possa desencadear novamente a reação. Eles afirmam consultar “religiosamente” uma lista de medicamentos não permitidos.


As imagens do rosto da criança afetada pela condição foram liberadas pelos pais, que afirmaram se tratar de um momento angustiante. “A pele de seu rosto começou a descascar, saindo em grandes pedaços, e seus olhos estavam selados. Nosso pobre menino parecia uma vítima de queimaduras […] foi difícil vê-lo assim”, disse a mãe.

Kai também nasceu com Síndrome de Down e sofre com problemas de coração, algo muito comum em pessoas com essa condição. Após o tratamento das complicações da reação, foi diagnosticado com estresse pós-traumático por causa das memórias perturbadoras do incidente. Felizmente, seu corpo não tem cicatrizes, e, embora a condição seja considerada como de grande risco, a mãe se diz feliz apenas por seu filho ter sobrevivido. “Kai é um pequeno guerreiro, eu sei disso”, disse.

Segundo informações da Mayo Clinic, a Síndrome de Stevens-Johnson (SJS) é uma doença rara que começa com sintomas semelhantes aos da gripe, logo seguidos de erupções vermelhas ou arroxeadas na pele, além de dolorosas bolhas que se espalham pelo corpo.

Em seguida, a camada superior de pele afetada morre e começa a se soltar. A condição, que é uma forma de Necrólise Epidérmica Tóxica, é tipicamente uma reação forte a um medicamento ou infecção, e pode ser fatal. O tratamento é realizado através da eliminação da causa subjacente, controle dos sintomas e minimização das complicações. A recuperação pode levar semanas, dependendo da gravidade.

[ Daily Mail ]

Website dedicado a exibir conteúdo de qualidade sobre ciências, curiosidades, mistérios e diversidades. Agradecemos a sua visita.

Copyright © 2017 supermisterios.com.br

Topo